Recibela busca apoio da Câmara para que esteira volte a funcionar

0

Na tarde desta terça-feira (14), a Comissão de Cidadania, Cultura e Direitos Humanos recebeu representantes da Cooperativa Recibela com o intuito de dar os encaminhamentos necessários para que os cooperados tenham condições dignas para executar as suas atividades. Desde setembro do ano passado, a única esteira utilizada para a separação dos materiais está interditada. Com essa medida, que partiu do Ministério do Trabalho e Emprego, eles trabalham sobre milhares de sacolas de lixo, que são descarregadas pelos caminhões, enfrentando riscos de saúde.

De acordo com uma das cooperadas, Sirlei Vieira, o que tem acontecido na cooperativa é um retrocesso. A Recibela é responsável por fazer a separação de 2% a 3% de todos os resíduos de Passo Fundo, mas possui capacidade de atingir 30%, caso receba investimentos. A esteira funcionava desde 2010 e os cooperados reivindicavam por, ao menos, mais uma, que poderia empregar mais pessoas e gerar renda a elas. Mas, além de não terem esse pedido atendido, sofreram com a interdição da sua principal ferramenta. “A gente está trabalhando nos montes. É perigoso para se picar com uma seringa, se cortar com alguma coisa. Queremos condições de trabalho”, reforça.

A reunião aconteceu após a comissão ter recebido um ofício, que veio do Conselho Municipal de Assistência Social. Segundo o presidente do conselho, Luiz Costella, a Recibela não está recebendo a atenção devida. Se ela operasse com essa e outras esteiras, seria possível, também, gerar economia aos cofres públicos, já que muitos dos materiais que são encaminhados a Minas do Leão, a 300 km, seriam separados e reciclados aqui. “A Recibela está com dificuldade para ajudar o município a cumprir a Política Nacional de Resíduos Sólidos”, pondera.

Ao escutar a demanda dos recicladores e do conselho, o presidente da comissão, Fernando Rigon (PSDB), disse que buscará com o Ministério do Trabalho e Emprego informações sobre essa interdição. Além disso, mencionou que dialogará com a Codepas, que é a empresa responsável por prestar o auxílio estrutural à Recibela, seguindo as solicitações da Secretaria de Meio Ambiente. “Vamos buscar no ministério quais foram os apontamentos e para quem foram e, se a Codepas recebeu, quais foram as providências tomadas”, articula.

Participaram da reunião, ainda, os vereadores Valdecir de Moraes (PSB), Rafael Colussi (DEM) e Rudimar dos Santos (PCdoB) e coordenador do Projeto TransformAção, Volnei Fortura.

CDHPF
Entidade da sociedade civil que articula indivíduos para apoiar organizações sociais que lutam pela garantia e promoção dos direitos humanos.

Deixe um comentário